Info-Orientação

Em que consiste a Orientação?

Last modified on 2010-04-15 00:15:13 GMT. 0 comments. Top.

Qualquer actividade que envolva a leitura de um mapa com o propósito de percorrer um trajecto pode considerar-se Orientação.

Como desporto, a Orientação mantém este conceito fundamental, aliando diversão, forma física e destreza mental, resultando numa aventura ao ar livre quer para atletas altamente preparados, atletas amadores e famílias ou amigos que procuram um agradável passeio pela floresta.

Para quem se inicia na Orientação, a leitura do mapa, o uso da bússola, o reconhecimento dos terrenos envolventes, a procura dos elementos e pontos de controlo é o principal desafio, sem as preocupações adicionais dos Atletas de Competição. O principal adversário para o Iniciante é ele próprio e o terreno.

A Orientação não é um desporto de regras, mas um desporto técnico, sendo essencial o conhecimento das técnicas básicas de navegação com vista a melhorar progressivamente e evitar que os erros ocorram de forma sistemática.

A possibilidade do Orientista se perder aumenta a sensação de aventura. O nervosismo e excitação resultantes facilmente se transformam em confiança e regozijo à medida que cada ponto de controlo aparece à nossa frente.

Para o Orientista experimentado, a luta faz-se não só entre si e o terreno, mas também com os outros participantes. A rapidez de progressão, a resistência, as tomadas de decisão mais eficazes e as técnicas avançadas de navegação fundem-se num todo, com o intuito de completar os percursos mais rapidamente que os outros.

Onde e como apareceu a Orientação?

Last modified on 2010-03-24 15:49:41 GMT. 0 comments. Top.

A arte da navegação com mapa e bússola em ambientes florestais começou como exercício militar na Escandinávia, nos finais do Séc. XIX. As condições naturais de paises como a Suécia permitiram o sucesso desta actividade, tendo-se realizado a primeira grande prova desportiva de Orientação em Março de 1919, perto de Estocolmo.

Paises vizinhos como a Noruega e Finlândia fazem desta actividade de desporto e lazer uma tradição, tendo-se mesmo integrado a Orientação na formação curricular dos estudantes suecos, aliando-se à prática física o conhecimento prático de Geografia.

A Orientação vem progressivamente a conquistar novos países na Europa e noutros continentes, mas os melhores Atletas e provas mais míticas continuam a ser nos Países Nórdicos.

Todos os Verões chegam a participar mais de 25000 pessoas de todo o mundo no decano dos Eventos de Orientação, o O-Ringen, na Suécia, com cinco dias de duração.

Quais as variantes da Orientação?

Last modified on 2010-04-15 00:15:03 GMT. 0 comments. Top.

A Orientação apresenta algumas variantes, sendo as mais divulgadas a Pedestre, em BTT e em Ski, muito popular nos países nórdicos.

Outras são menos comuns, como a cavalo, subaquática, em viaturas TT, em canoa ou à vela.

O ´Trail Orienteering´, ou Trail-O é uma variante específicamente adaptada para pessoas com mobilidade reduzida. No entanto, é uma variante que pode (e deve) ser praticada por qualquer pessoa, dado o cariz técnico da variante.

Quem tutela a Orientação em Portugal?

Last modified on 2010-04-14 17:47:15 GMT. 0 comments. Top.

Sendo uma actividade com cerca de 35 anos em Portugal, a Orientação como desporto é tutelada desde 1990 pela Federação Portuguesa de Orientação, fazendo-se nessa data a transição do meio militar para a sociedade civil.

Federação Portuguesa de Orientação

Em franca expansão, as variantes Pedestre, BTT e Corridas de Aventura (um misto das variantes base com a adição de montanhismo e desportos radicais) estão regulamentadas por este organismo, que coordena a sua actividade com as dos Clubes e Associações na realização de eventos e competições de âmbito regional e nacional.

Nunca pratiquei Orientação. Em que escalão me devo inscrever?

Last modified on 2010-04-15 00:31:39 GMT. 0 comments. Top.

Nas suas primeiras participações como Iniciante, a escolha do escalão adequado é importante para a sua auto-motivação e evolução natural. Faça uma opção racional.

Sendo a Orientação Pedestre um desporto de corrida com uma forte componente técnica, qualquer Iniciante deverá encarar as suas primeiras participações de forma descontraída, tendo primeiramente em vista uma aprendizagem correcta das técnicas de navegação e com o tempo preocupar-se com a questão física.

No entanto, a escolha do escalão adequado deverá ser uma opção sensata, com base na actual condição física do Atleta. As provas de Orientação Pedestre em Portugal têm sempre percursos em escalões OPT, de Iniciação e abertos ao público em geral, a par com os percursos de Competição e Formação. (Orientação para Todos). Servem essencialmente para participantes não federados, individualmente ou em grupo.

Tipicamente, os Escalões OPT tem quatro percursos distintos, o Fácil Curto, Fácil Longo, Díficil Curto e Díficil Longo, permitindo a adequação do Atleta aos objectivos da sua participação. A Orientação é conhecida como um desporto para a vida e para todos. Desta forma, a Iniciação em idades tardias não impede de se fazer uma progressão natural na modalidade.

Os Escalões Fáceis são percursos onde o objectivo principal é a evolução da componente técnica, e onde os trajectos requerem conhecimentos básicos de Orientação, estando os pontos de controlo em localizações simples. Os Escalões Difíceis requerem a aplicação de técnicas mais avançadas de Orientação, não sendo adequados para a primeira participação. Nestes escalões, os pontos de controlo já têm uma dificuldade acrescida, potenciando erros de principiante.

A diferença entre Curtos e Longos é obviamente a distância. Dependendo do Atleta e da sua maior ou menor capacidade física, a escolha terá de ser tomada tendo em consideração que a componente técnica pode ser afectada pela fadiga acumulada ao longo do percurso.

Com base nesta abordagem, escolha o escalão OPT de forma progressiva e assim que tenha confiança em si e nas suas capacidades, faça a evolução natural. Em paralelo e fora das provas, cuide do físico e prepare-se. A Orientação permite uma evolução técnica visível mais rápida que a física, que está mais dependente da natureza do individuo. Só com experiência e perseverança fará o ´seu percurso perfeito´.

Nota: Na Orientação em BTT, também há escalões OPT. No entanto, é normal haver somente dois escalões: um OPT Curto e outro Longo, fazendo-se um percurso tecnicamente mais fácil no primeiro caso e um dífícil no segundo.