Na sequência do 2º lugar obtido no Challenge PT 2010 pela equipa PTIn Blue Team, recebemos um convite para participar numa das equipas Corporate em representação da Portugal Telecom no MUS 2010, ou melhor, no Merrel Urban Side 2010. Estas vagas foram endereçadas às 3 primeiras equipas classificadas no Challenge pela Área de Responsabilidade Social Interna da PT, a quem amavelmente agradecemos a oportunidade, contribuindo assim com o valor da nossa inscrição para a Cais, a instituição escolhida pela Merrell para endereçar os donativos de todos os participantes e empresas que aderiram a esta prova com a representação de equipas de colaboradores.

Baseada na Oyster Urban Adventure Racing Series, uma prova originária dos Estados Unidos, a Merrel trouxe o conceito para a Europa, começando precisamente por Lisboa. O MUS 2010 pode descrever-se como uma corrida de aventura urbana, com alguma componente de Orientação, pela necessidade de navegar pela cidade com a ajuda dum mapa. A progressão base é em corrida, ciclismo e/ou transportes públicos. À mistura, temos peddy-paper, bike-paper, actividades radicais, jogos populares, resolução de enigmas, charadas, caças ao tesouro, provas de cultura geral, tudo num sem-fim e com surpresas que vão acontecendo ao longo de 6 horas de prova non-stop. A mecânica reside num ponto central, onde se iniciam todos os percursos em loop, cada um com a sua temática. Por ordem pré-definida, cada equipa começa num deles e tenta encontrar a melhor estratégia para pontuar o mais possível no tempo  de prova.

MUS 2010 - Passaporte Geral

Dentro de cada percurso, há pontos de passagem (com ou sem actividades) obrigatórios para descobrir o percurso certo a seguir, pontos opcionais ao longo do percurso que rendem pontos extra, e tarefas para ganhar pontos de bónus que podem ser entregues no final do percurso, mas somente um bónus por cada. No entanto, os bónus podem ser coleccionados para entrega em percursos seguintes. Cada percurso tem um tema e um meio de progressão obrigatório, sendo necessário recorrer aos transportes públicos como forma de vencer distâncias maiores. Muitas actividades implicam tirar fotos em pontos-chave, comprovando a presença de cada equipa no local.

A equipa PTIn Blue Team foi reforçada do Challenge PT 2010 para o MUS 2010, com a inclusão da colega da PT Inovação Claúdia Sequeira, tendo em conta que no MUS 2010 as equipas eram obrigatoriamente mistas. Havia 2 escalões, o Warm, para equipas de 4 elementos, sem folgas, e todas as actividades sendo obrigatórias, e o escalão Cool, para equipas de 5 a 8 elementos, com possíbilidade de folgas entre percursos, e a possibilidade de gerir quais as actividades a realizar. Desta forma, a nossa equipa fez parte do escalão Cool, mas engane-se quem acha que a Cláudia foi fazer número. Apenas a poupámos nos percursos de ciclismo, ficando encarregue de cumprir as actividades lúdicas, de cultura geral, e também de trabalhos oficinais que nos foram propostas nesses períodos. Desta forma, pudemos delegar nela tarefas que careciam de alguma calma de resolução, enquanto andávamos de BTT por tudo quanto era rua e avenida de Lisboa. Em tudo o resto, participámos os 5 como um todo, levando as capacidades de cada um para o terreno e distribuindo a chuva por todos de forma igual.

Em posts seguintes, darei conta da nossa presença no MUS 2010, com o relato de alguns dos desafios e actividades que nos colocaram, bem como fotos e imagens de locais percorridos…