Foi no fim de semana de 29 e 30 de Maio que o Campo Militar de Santa Margarida  se transformou no centro do evento do I Ori-BTT de Santa Margarida da Coutada – Constância, prova a contar para a Taça de Portugal de Ori-BTT 2009/10. Com a organização do CLAC, do Entrocamento, esta prova foi constituída por um percurso de Distância Longa, no Sábado, e um percurso de Distância Média no Domingo.

Ori-BTT Santa Margarida

A Secção Local de Aveiro do CP Telecom fez-se representar nesta prova pelo Miguel Tomás, o atleta mais regular nas participações do clube no escalão H21B. Não tendo tido resultados tão brilhantes como em provas passadas, mesmo assim logrou ficar em 3º em ambos os dias de competição, amealhando pontos suficientes para subir ao pódium final desta prova precisamente no 3º da geral.

Ori-BTT de Santa Margarida - Pódium de H21B

No que toca aos escalões maiores, de Elite, Susana Pontes, do CPOC, e Daniel Marques, do COC, ficaram naturalmente nos lugares cimeiros, atestando o bom momento de forma com vista à preparação do Campeonato do Mundo, e mantendo a quase hegemonia no que toca aos resultados desta temporada na Taça de Portugal de Ori-BTT.

Ori-BTT Santa Margarida - Longa - H21B

No final da prova, pedi ao Miguel Tomás que respondesse a algumas perguntas da praxe, ou seja, que nos desse a sua visão deste fim de semana de Orientação em BTT.

Como te correram os dias de prova?

Miguel Tomás em Santa Margarida

MIGUEL TOMÁS: Fim de semana complicado. O primeiro dia começou mal, com algumas más opções e outros tantos enganos, fruto de alguma desconcentração, tendo sentido também algum cansaço no final da prova. O segundo correu melhor, mas senti que não estava bem fisicamente e isso voltou a notar-se no final do trajecto. Apesar de, no sábado, ter chegado cedo ao local da prova para tentar junto do mecânico uma solução para o travão traseiro (inexistente), tal não foi possivel. Esta é a única critica que faço à organização da prova, uma vez que o mecânico que supostamente deveria prestar a assistência não apareceu em nenhum dos dias.

O que achaste do mapa e terreno?

MT:O mapa podia ser melhor. Encontrei algumas imprecisões na rede da caminhos e também na localização de um ponto, o que é raro. O terreno apresentava boas condições, dentro daquelas que normalmente se encontram, com algumas subidas/descidas bastante acentuadas que obrigavam os participantes a fazer o percurso fora da bicicleta, em ambos os casos. O facto de existir uma elevada quantidade de pedra solta (algumas de grandes dimensões) obrigava a alguma pericia e pedia também elevadas doses de sorte e de loucura para quem optava por fazer as descidas montado.

Que dificuldades sentiste?

MT: A principal dificuldade, para mim, foi o calor que se fez sentir, com o sol muito forte e pouca sombra ao longo de todo o percurso. O facto de fazer as duas provas apenas com travão dianteiro também condicionou a minha participação. No entanto considero-a positiva e a conquista do 3º lugar acabou por ser mais do que estava à espera. Parabéns ao Nuno Marques (justíssimo vencedor), com quem tive o prazer de fazer parte do trajecto.